Meu look: Listras e renda

22 de maio de 2015



Listras é uma das minhas estampas favoritas. São lindas e combinam com tudo, e, eu prefiro na horizontal e não tô nem ai se engorda. 
Esse look eu montei para aquele domingo preguiçoso, fresco confortável. Listras vermelhas para dar uma corzinha e um short de renda, para completar e dá um brilho, coloquei minha sapatilha "brilhante"!
O que acharam?

Blusa: Marisa
Short: Ganhei da sogra
Sapatilha: Moleca

{Entrevista} Como fazer parceria com loja física

20 de maio de 2015



Eu convidei a Brenda e o Jean do Style Drops para falarem um pouquinho aqui no blog sobre a experiência deles em relação a pareceria com loja física. Sei que muita gente tem vontade de começar um projeto assim, e é difícil encontrar as pessoas falando sobre, o que mais rola hoje em dia são parcerias com lojas online. Além do mais, eles são de uma cidade pequena e estão fazendo um trabalho bacana. 

1-Falem um pouco sobre vocês, o que fazem, idade, onde vivem, como é a cidade que vocês residem, perfil, quantidade de habitantes...

Equipe Style Drops - Bom, o blog é composto por dois blogueiros oficiais que estão nele desde o início e ás vezes fechamos algumas parcerias de colunistas temporários. Mas no momento sou só eu, Brenda Matoso, e o Jean Ortiz. Eu faço Licenciatura  em física e trabalho como secretária, o Jean faz publicidade e propaganda durante o dia. Eu tenho 20 anos e o Jean 21, moramos em São Borja, Rio Grande do Sul e o que nos separa da Argentina é um Rio não muito grande Hahahaha somos fronteiriços.

 A cidade é pequena, não tanto agora, mas isso é coisa de uns dois anos pra cá. Não sabemos exatamente quantos habitantes existem na cidade, mas o pessoal por ser gaúcho da fronteira, podemos dizer que são um pouco "grossos". Não na maneira de tratar as pessoas, longe disso, mas sim no que diz respeito a moda e tudo mais.

 Apesar dos gaúcho se vestirem muito bem, principalmente no nosso inverno, ainda notamos traços de preconceito quanto ao novo. A cidade hoje esta crescendo um pouco, pois os cursos superiores chegaram até nós, então algumas pessoas estão vindo de fora. E a grande reclamação no geral é: Não tem nada pra fazer na cidade, não tem onde ir, não tem pra onde sair. Estou notando mudanças, mas ainda bem pequenas.

2-Com o surgiu a ideia de fazerem parceria com loja física?

Equipe SD- Na verdade desde que começamos o blog já tínhamos contato com o pessoal da Up, principalmente por sermos clientes. O blog foi crescendo e o Jean começou a aplicar o que ele aprendia na faculdade e eu que aprendia com as blogueiras famosas e estudos que faço fora da minha facul. Fomos aprimorando o style e resolvemos fazer uma proposta para a loja. Montamos nosso material direitinho, o mais organizado possível que é pra causar aquela boa impressão e mandamos. Não queríamos e nem queremos dinheiro, é apenas uma troca, agente ajuda ele a produzir um material legal e usamos para acrescentar conteúdo no nosso blog.

3- Como vocês escolheram as lojas? O que tinha mais a ver com o blog, público afim? Como foi esse processo?

Equipe SD - Essa loja é digamos assim, a mais usada da cidade, pois inovou a maneira de pensar e de vestir de muitos jovens. Existe a São Borja antes da Up e depois da Up. Antes a gente não encontrava lojas com camisetas de banda, e que atendesse a outros estilos que não fossem os costumeiros. Por isso essa loja sempre chamou bastante atenção, não só da gente, mas da cidade toda.

4- Como vocês abordaram as lojas? Foram bem recebidos? Enfrentaram resistência?

Equipe SD - Como mencionei antes, já tínhamos contato com a loja desde o início, e as coisas aconteceram naturalmente. Fomos muito bem recebidos, e acho até que isso aconteceu por eles também terem enfrentado olhares tortos no começo. Então a gente se entendeu logo de cara.

5- Como ficou acertado a questão do "pagamento" pelo serviço que vocês ofereceram? Foi em troca de produtos ou vocês trabalham com um valor tabelado?

Equipe SD-  Nossa parceria foi, digamos assim, um troca troca. Eles emprestavam as roupas e acessórios, davam brindes aos modelos ( que eram nossos amigos) e nós entravamos com a parte da produção. Eles nos divulgaram e nós divulgamos eles. Eles escolheram algumas fotos para divulgação da loja e as demais ficaram conosco para conteúdo pro blog e page. Pois ainda não estamos preparados para começar a cobrar, e uma das metas do blog é produzir conteúdo autoral então dessa maneira a gente consegue produzir sem cair na mesmice e ainda ajudamos eles.

6- Que tipo de serviço vocês oferecem as lojas?

Equipe SD - Nós produzimos editoriais de moda de acordo com o que a loja deseja passar para o cliente.

7- Quanto tempo é a duração da parceria com a loja? Vocês estabelecem prazos, metas e etc?

Equipe SD - Como nós não entramos no campo de valores ainda, não foi estabelecido nenhum prazo, mas já fomos chamados para produzir o próximo editorial.

8- Quais as dicas essenciais que vocês deixam para quem esta pensando em procurar lojas para parceria?

Equipe SD - Primeiro de tudo é analisar o que você tem condições de proporcionar a loja. Pois no nosso caso por exemplo, a loja não precisava de divulgação, afinal ela é super famosa por aqui. Porém não produz materiais próprios e vimos nisso a nossa chance.

 A segunda coisa é organizar bem a sua proposta, em documento, bem editado e com todas as informações sobre seu blog.

E acho que o mais importante nisso tudo é você ser responsável, pois é a imagem de uma empresa que esta nas suas mãos, então saiba exatamente o que a empresa quer passar para os seus consumidores e sempre busque e indique aquilo que você realmente goste e saiba que tem qualidade.

E então, vocês gostaram da entrevista?

Como pintar o cabelo com Violeta Genciana

18 de maio de 2015



Sempre ouvi falar em Violeta Vegenciana, mas ficava com medo de ser igual a Anilina. Uma vez passei anilina no cabelo e toda vez que lavava o cabelo, ela manchava a toalha, os lençóis, até a minha quinta geração ela vai manchar! A VG mancha também, mas nada comparada a Anilina.

O que é VG? Violeta Genciana apelidada de VG, é um remédio de cicatrização de pele.

Eu resolvi pintar porque era o que eu tinha acesso no momento, vou contar meu pequeno drama: 
Eu cheguei na casa dos meus pais com o cabelo esverdeado, minha me convenceu a pintar de Castanho Mate e ficou uma droga, uma cor tipo musgo, igual a foto abaixo. Ai fiz o teste da mecha com a VG e gostei do resultado. 


Para pintar você vai precisar de:
  • Pote plástico;
  • Creme branco denso;
  • Vg, no caso eu usei 15ml, metade do potinho;
  • Pincel para passar no cabelo;
  • Uma tampinha de bepantol para hidratar (Opcional);
  • Camisa velha;
  • Toalhas velhas para proteger contra mancha;
  • Óleo (usei um para o corpo da Natura) para passar nas orelhas,testas e etc antes de pintar, para que caso manche a remoção seja mais fácil. 
Dicas e procedimento:
  1. A quantidade de creme e VG é muito no olhômetro, mas você tem que deixar a mistura sempre um pouquinho mais escura do que a cor que você realmente deseja. Porque quando você lava, o seu cabelo tende a ficar com a cor mais clara do que a mistura;
  2. A VG contém álcool, por isso é importante deixar ela aberta por uns 30 minutoas antes de usar, para que ele evapore;
  3. Importante! O cabelo tem que tá seco, uma vez fiz com o cabelo úmido e teve partes que não pegou;
  4. Faça uma mistura que você tem certeza que vai dá para o seu cabelo;
  5. Misture o bepantol, creme e VG;
  6. Passe a mistura e deixe no cabelo por volta de 40 a 60 minutos. Eu deixei mais de uma hora porque enrolei para tomar banho.
  7. Lave os cabelos normalmente, esfregando bem a cabeça com os dedos, pois ela mancha a cabeça. 
  8. Acho que até a terceira lavagem, a anilina vai manchar a toalha, então cuidado com  toalhas que você tenha estima. 
  9. Acho que até a terceira lavagem você corre o risco de manchar seu travesseiro. 
  10. Toda vez que eu lavo o cabelo sai um pouco da VG quando passo o Shampoo, mas não mancha mais nada, e a cor abre mais, fica mais clara.



Dicas da fanpage: Sim! Usamos Anilina:

  • Precisa descolorir? Precisa!
  • Onde comprar?! Fácil, é um remédio então pode ser encontrado em drogarias e farmácias. Já ouvi falar de alguns estados que não encontram o VG, mas tem VÁRIAS farmácias que tem site onde você consegue fazer a compra on-line.
  • Sobrou tinta? Não tem problema é só guardar na geladeira e usar na próxima!
Problemas frequentes:
  • Tirou o VG do cabelo, lavou com shampoo e quando secou ficou tão escuro que parece preto!! Resposta: Calma! O cabelo absorveu demais a tinta, aos poucos você vai lavando e a cor vai abrindo, geralmente demora entre uma á duas semanas. Pode ficar tranquilo que você não fez nada de errado!
  • Mesmo depois de duas semanas o roxo ainda está escuro. Resposta: Isso acontece quando a descoloração não foi o suficiente, ou seja, o loiro ficou muito amarelado. A melhor coisa é esperar desbotar, descolorir mais um vez e passar de novo.
  • Manchei tudo! Toalha, roupa, lençol...Resposta: Tranquilo!! Nada que um sabão não resolva. No tecido sempre coloquei para lavar normalmente na maquina e ficou limpinho!
  • Manchei a pele! Ficou tudo roxo!Resposta: VG não mancha muito, não chega nem perto do estrago da anilina rs, água com sabão e álcool dão conta do recado.
  • O que é melhor anilina roxa ou VG? Resposta: Olha isso ai é uma coisa que se discute á anos literalmente. Acho difícil dizer qual é a melhor, eu acho o VG mais prático, mas a anilina dura cerca de duas semanas mais, mas varia muito de acordo com os hábitos de lavagem e do shampoo.
  • Posso misturar VG com anilina para dar uma cor diferente?Resposta: Pode sim! Aliás a mistura de VG com anilina rosa fica lindo!

Animações: Vidas ao vento e O conto da Princesa Kaguya

15 de maio de 2015



Sinopse: Jiro Horikoshi, vive em uma cidade do interior do Japão. Um dia, ele tem o sonho de estar voando em um avião com formato de pássaro. A partir desse sonho, ele decide que construir um avião e colocá-lo no ar é a meta da sua vida. Durante a busca pelo seu sonho ele conhece Naoko, uma jovem encantadora por quem se apaixona. No entanto, Naoko fica profundamente doente, sem saber se sobreviverá.

O filme é uma biografia adaptada do designer de avião de caça Mitsubishi A6M Zero, Jiro Horikoshi, usado durante a Segunda Guerra Mundial pelo Japão. Além disso, o filme contém elementos de uma história trágica de Tatsuo Hori, poeta, tradutor e escritor do Período Shõwa, em que uma jovem é mandada para um sanatório após contrair tuberculose.


Se você espera o foco numa grande história de amor, vá tirando o seu aviãozinho da chuva. A animação retrata a vida de Jiro e seu sonho de construir avião, tanto que a maior parte da animação esta é a temática. Além disso, o personagem principal não me conquistou, é muito introspectivo no seu próprio mundo, o seu único objetivo é  projetar um avião melhor. A parte fantástica fica por conta dos seus sonhos, que passam uma mensagem meio pacifista em relação a quem projeta os aviões e o seu uso para a guerra. Talvez, eu tenha que assistir a animação mais uma vez para ter uma opinião mais sólida.


Sinopse: Esta animação é baseada no conto popular japonês "O corte do bambu". Kaguya era um minúsculo bebê quando foi encontrada dentro de um tronco de bambu brilhante. Passado o tempo, ela se transforma em uma bela jovem que passa a ser cobiçada por 5 nobres, dentre eles, o próprio Imperador. Mas nenhum deles é o que ela realmente quer. A moça envia seus pretendentes em tarefas aparentemente impossíveis para tentar evitar o casamento com um estranho que não ama. Mas Kaguya terá que enfrentar seu destino e punição por suas escolhas.

A história é bem bonita, mistura fantasia com o real. Adoro essas animações que mostram a vida das crianças de forma leve e livre, e suas pequenas aventuras. Além do mais, se trata de uma história de divergência, quando os desejos dos filhos e dos pais são diferentes e as dificuldades que são encontradas ao seguir um caminho em que não se quer percorrer. Com um final surpreendente, como na maioria das animações japonesas, vale a pena assistir! 

Livro: O escaravelho do diabo

11 de maio de 2015



Eu li O escaravelho do diabo na adolescência, o livro era da biblioteca da escola. O livro foi lançado em 1972 e foi selecionado pelo MEC para fazer parte de Programa de Biblioteca da Escola em 1999. Em 2014 encontrei-o num sebo e comprei. Recentemente fiquei sabendo que o livro vai virar filme, então resolvi ler o livro e resenhar pra vocês.

Sinopse
Vítimas ruivas recebem um escaravelho antes de serem assassinadas. Essa é a única pista de que Alberto dispõe para chegar àquele estranho criminoso. Qual a relação entre ruivos e escaravelhos? Quem será o próximo?

É uma história tão curta que se eu escrever muito perde a graça. É curta, mas intrigante! Ótima para leitores inciantes, pois você não consegue desgrudar do livro até descobrir quem é o assassino ou será assassina? Alberto que teve seu irmão assassinado e o Inspetor Pimentel farão de tudo para descobrir essa pessoa um tanto peculiar. Façam suas apostas!

Se você é ruivo (a) natural cuidado ao receber essa caixinha! (Imagem do filme)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...